Ano XIII - Edição 600 - 30/03/2021
-

Acompanhamento das atividades remotas é uma das pautas imediatas da Diretoria eleita para Gestão 2021-2023

No último sábado (27), foi divulgado o resultado da Eleição para a Diretoria da Adufs que elegeu a Chapa Adufs – Autônoma e Democrática (confira a nominata) com 97% dos votos para assumir a Gestão 2021-2023 do sindicato. Diante de um cenário completamente novo, do ponto de vista da forma como as atividades estão sendo desenvolvidas em decorrência da pandemia, o grupo deve tomar posse já na primeira quinzena de abril com algumas pautas urgentes como o acompanhamento das atividades remotas.

Para Elson Moura, membro da coordenação geral da Diretoria eleita, apesar do amplo plano de gestão apresentado pelo grupo no período de campanha, nesse momento existem pautas políticas que se impõem: “O acompanhamento junto com o Fórum das ADs da pauta de reivindicações protocolada na governadoria é uma questão imediata, além do acompanhamento das condições de trabalho que nesse momento pressupõe o acompanhamento das atividades remotas. Estas são duas questões importantes que trazem com elas um conjunto de outras que já estão no nosso programa”. Elson Moura destaca ainda que outras demandas que já foram pontuadas pela Chapa começarão a ser desenvolvidas a partir das divisões internas do trabalho: “As questões mais imediatas necessariamente passam pela organização da divisão do trabalho, que é a parte mais burocrática”, afirmou.

As ações imediatas estariam desta forma divididas em três pontos importantes: 1) A divisão do trabalho interno da diretoria; 2) O acompanhamento do andamento das ações do Fórum das ADs em relação à pauta de reivindicações; 3) Organizar estratégias de acompanhamento das atividades remotas.

A partir desta organização será possível encaminhar questões como a eleição dos representantes dos conselhos e promover o fortalecimento e criação dos Grupos de Trabalho com o estabelecimento de temas dos debates que devem ser realizados durante toda a gestão. De acordo com o Plano apresentado pela Chapa já é possível identificar alguns temas de interesse para estas discussões como assédio moral e sexual, LGBTfobia, machismo e racismo.

Alinhada com o enfrentamento das crises sanitária e econômica que amplia a necessidade de resistência da classe trabalhadora contra os múltiplos ataques e retrocessos promovidos pelos governos federal e estadual, a Chapa Adufs – Autônoma e Democrática apresentou perspectivas para uma gestão que deve atuar fortemente na defesa da categoria, mas traçando novas estratégias de aproximação também com trabalhadores e trabalhadoras de modo geral, enfatizando a necessidade de criação de uma frente única contra a exploração e as desigualdades.

A eleição aconteceu entre os dias 24 e 26 de março; foi realizada por meio de sistema eletrônico e contou com um total de 182 votantes. A chapa 1 recebeu 177 votos, outros dois votos foram brancos e três nulos. Nos próximos dias, a data da assembleia que deve empossar a nova Diretoria da Adufs será divulgada, encerrando, assim, o mandato da Gestão 2019-2021.
 

Compartilhe esta notícia!

DEMAIS NOTÍCIAS

Em defesa da vacinação em massa e contra ataques do governo federal, Adufs amplia campanha de mídia

Outdoor pode ser visto da BR 116

Na última semana, a Adufs publicou um outdoor em defesa da vacinação em massa e contra as ações deliberadas do presidente Jair Bolsonaro (sem partido) a favor da proliferação do vírus em território nacional. A placa pode ser vista por quem transita a BR 116, em frente à Universidade Estadual de Feira de Santana (UEFS).

O outdoor duplo traz a seguinte mensagem: “Com tiranos não combinam brasileiros corações”. Quem governa para a morte, não pode governar o Brasil. Fora Bolsonaro! Vacinação em massa, Já!. Além disso, foi reservado um espaço que demonstra nossa solidariedade às vítimas da covid-19, com o símbolo de luto.

Com mais de 310 mil vidas perdidas para a covid-19, ainda testemunhamos um governo federal que atua contra medidas restritivas, promove aglomerações e defende a utilização de medicamentos que comprovadamente são ineficazes no combate à doença e colaboram para o comprometimento de órgãos saudáveis. Num quadro de abandono pelas principais autoridades, o país amarga uma severa crise sanitária e econômica, sem vacinação suficiente para barrar os dados crescentes de mortalidade e contágio, agora intensificados por novas variantes do vírus.

Sem auxílio emergencial ou com o valor vergonhoso que o governo promete liberar nos próximos dias que vai de R$ 150 a R$ 375. Enquanto isso, milhões de brasileiros entram para a estatística da pobreza extrema e a população volta a sofrer com a fome, falta de empregos, alta nos preços e crescente índice de violência e mortalidade. Segundo os dados da FGV Social a partir de dados das Pesquisas Nacionais por Amostra de Domicílios (Pnads) Contínua e Covid-19, em janeiro de 2021, 12,8% dos brasileiros passaram a viver com menos de R$ 246 ao mês (R$ 8,20 ao dia). Mais brasileiros estão em situação de miséria comparando com os índices do início da década, em 2011. Apesar das constantes provas de incapacidade de corrigir os problemas da população e recorrentes denúncias de crimes aos órgãos internacionais, Bolsonaro segue livremente afundando o país em uma onda de miséria e desesperança que deve trazer consequências incalculáveis também a longo prazo.

Em defesa dos trabalhadores e das trabalhadoras, de todas as vítimas da covid-19 e da população em geral, a Adufs exige a vacinação em massa e a saída imediata do presidente do poder: Fora, Bolsonaro! Impeachment, Já!

Compartilhe esta notícia!

FÓRUM DAS ADS

Associações Docentes fazem nova tentativa de diálogo com o governo estadual

Foto: fó

O Fórum das ADs fez uma nova tentativa de diálogo com o Governo do Estado para retomar a mesa de negociação permanente, interrompida desde novembro de 2019 de forma unilateral pelo governo. Em ofício enviado ao senador Jaques Wagner (PT), à deputada federal Alice Portugal (PCdoB), interlocutores do legislativo baiano e secretarias das pastas competentes, aos (às) professores (as) ressaltando que, mesmo reconhecendo a dificuldade da pandemia, esse momento de exceção requer instituições públicas fortes e, mais do que nunca, as universidades são necessárias.

O novo documento enviado, reiterou que “o Fórum das ADs está aberto ao diálogo com o governo estadual, conforme o acordo verbal estabelecido em nossa última reunião com o Sr. Deputado Rosemberg em fevereiro deste ano. Em consonância com isso, reafirmamos o termo acordo de greve assinado em 2019, onde foi estabelecida a criação de uma mesa permanente de negociação”. Foi encaminhado ainda, como anexo, uma nota da Diretoria Nacional do ANDES-SN sobre lockdown nacional, defesa das vacinas públicas e contra o retorno das aulas presenciais ou híbridas.

Leia a matéria do Fórum das ADs na íntegra no site da Adufs.
 

Compartilhe esta notícia!

ELEIÇÃO

Chapa Adufs - Autônoma e Democrática é eleita com 97% dos votos

Dos 182 eleitores que participaram do processo eleitoral para a diretoria da Adufs (biênio 2021-2023), 177 elegeram a Chapa Adufs – Autônoma e Democrática, única inscrita no processo eleitoral. Considerando o universo total de eleitores, 02 optaram pelo voto branco e 03 anularam. Em breve será divulgada a data da assembleia que será realizada especificamente para a posse dos novos diretores. 

Este ano, em função das limitações impostas pela Covid-19, os professores experimentaram um processo novo para a escolha da nova Diretoria. Toda a eleição foi organizada por uma empresa especializada em gestão e automatização eleitoral, que elaborou uma plataforma online para atender todas as demandas relacionadas ao pleito. Apesar dos desafios enfrentados pela Comissão Eleitoral, Diretores da Adufs e base do sindicato se empenharam para garantir o sucesso da realização das eleições, “todo o processo transcorreu de forma organizada e tranquila, com total sigilo e segurança das informações passadas pelos docentes”, avaliou Haroldo Benatti, diretor da Adufs e membro da Comissão Eleitoral.

Leia mais no site da Adufs.

Compartilhe esta notícia!


ANDES-SN

Após PEC Emergencial, governo mira na aprovação da Reforma Administrativa

Embora tenha conseguido aprovar uma série de ataques aos Servidores Públicos no texto da Proposta de Emenda Constitucional 186 – conhecida como PEC Emergencial e promulgada nessa segunda (15), o governo pretende, ainda esse semestre, aprofundar mais o desmonte do Estado brasileiro com uma reforma administrativa.

A PEC 32/2020, que altera disposições sobre servidores, empregados públicos e organização administrativa, foi enviada ao Congresso Nacional em setembro do ano passado. Agora, com a ampliação do apoio ao governo Bolsonaro entre os parlamentares, a proposta entrou na pauta e começou a avançar na Câmara dos Deputados. No dia 15 de março, o deputado Darci de Matos (PSD/SC) foi designado relator da PEC na Comissão de Constituição e Justiça.

No último dia 16, o ministro Paulo Guedes se reuniu com o presidente da Câmara, deputado Arthur Lira (PP/AL) para discutir a tramitação da Reforma Administrativa no Congresso Nacional. Ao final do encontro, em declaração à imprensa, Guedes disse estar otimista com a perspectiva de aprovação da PEC com certa agilidade na Câmara e no Senado.

Mesmo antes de a proposta ser oficialmente apresentada em 2020, servidoras e servidores públicos de todo o país já estavam em luta para conscientizar a população sobre os impactos negativos que mais uma reforma ultraliberal terá para os serviços públicos e seus usuários e suas usuárias, para além do funcionalismo. Após intensa mobilização e pressão junto a parlamentares, a tramitação da PEC 32 foi suspensa em dezembro do ano passado.

Leia na íntegra no site do Andes-SN.
 

Compartilhe esta notícia!


CSP-Conlutas

Orçamento aprovado pelo Congresso corta verbas de áreas sociais e garante uma bolada aos banqueiros

Na última quinta (25), o Congresso Nacional aprovou o projeto de lei orçamentário de 2021 (PLOA). A votação que deveria ter ocorrido no ano passado sofreu de um impasse entre a bancada governista e o bloco liderado pelo então presidente da Câmara, Rodrigo Maia, que não permitiu a instalação da Comissão Mista do Orçamento. Este ano, com Arthur Lira (PP-AL) comandando a Câmara, a bancada governista emplacou Flávia Arruda na presidência da comissão.

O projeto enviado pelo governo Bolsonaro já era bastante ruim, pois reduzia as verbas das principais áreas sociais, destinava uma enorme quantia para a Dívida Pública e consagrava o arrocho salarial sobre os servidores públicos. Mas o relatório final apresentado pelo senador Márcio Bittar (MDB-AC), que teve nova redação no dia da votação, piorou ainda mais o corte orçamentário.

O Ministério da Saúde, por exemplo, sofreu uma redução de mais de R$ 25 bilhões em relação aos gastos efetivados em 2020. Um corte efetivado justamente no momento em que a pandemia da Covid-19 chega em seu pior momento no país. A Educação sofreu uma redução de R$ 17 bilhões em relação a 2020 e o Censo do IBGE, programado para ser realizado esse ano, sofreu uma redução de 90% das verbas em relação à proposta de orçamento do projeto inicial do governo. Fato que vai inviabilizar completamente a realização do Censo nesse ano.

O único setor que teve aumento orçamentário foram as Forças Armadas, sob a justificativa de garantir o aumento salarial dos militares, para compensar a reforma previdenciária que será aplicada aos servidores da área.

Leia mais no site da CSP-Conlutas.
 

Compartilhe esta notícia!

Junte-se e lute!

FILIE-SE À ADUFS

Sou filiado à ADUFS, pois, o Sindicato faz um importante papel de representação dos professores frente ao Estado da Bahia, seja nas questões salariais, seja nos demais temas de interesse da classe. .


Agenor Sampaio Neto, professor do Departamento de Ciências Sociais Aplicadas (DCIS).

A força do sindicato está em seus/suas filiados (as) e na capacidade de defender os interesses da categoria. Desde a sua criação, em 1981, a Adufs tem pautado a luta em uma prática democrática, coerente e firme na defesa de um projeto de universidade pública.

Participar do sindicato é exercer cidadania, é ser sujeito da sua história. Para filiar-se é preciso preencher um formulário (aqui), autorizar o desconto mensal de 1% sobre os vencimentos, assinar e entregar na Sala da Associação, que fica no Módulo IV (MT 45) da Uefs.

Avenida Transnordestina, MT 45, Novo Horizonte
Campus Universitário - UEFS - CEP 44036-900 - Feira de Santana - BA
Tel: (75) 3161 - 8072 | (75) 3224 - 3368
Email: ascomadufsba@gmail.com
www.adufsba.org.br

Facebook Twitter YouTube

Política de Privacidade | Unsubscribe
Desenvolvido por Tacitus Tecnologia